O principal índice da bolsa brasileira, a B3, fechou em forte queda nesta quarta-feira (10), após fechar estável na véspera, à espera da pesquisa Datafolha no final do dia, e com investidores repercutindo as declarações do candidato à Presidência Jair Bolsonaro (PSL) sobre a reforma da Previdência e a privatização da Eletrobras.

O Ibovespa fechou em baixa de 2,80%, a 83.679 pontos. Veja mais cotações.

Ibovespa em 2018
Pontuação de fechamento
28/1210/119/131/0109/0222/025/314/323/34/413/424/44/0515/524/0505/0614/0625/064/716/725/73/814/823/83/913/924/93/1065k70k75k80k85k90k
Fonte: B3

 

Eletrobras despenca

 

As ações da Eletrobras recuaram 9,25%. Mais cedo, chegaram a cair acima de 14%. Ações da Petrobras caíram mais de 3,24%, enquanto os papéis de bancos também recuaram com força: Banco do Brasil cedeu mais de 4%; Itaú Unibanco e Bradesco recuaram perto de 3%.

Na noite desta terça, Jair Bolsonaro, candidato pelo PSL, afirmou em entrevista à TV Band que tem resistências em relação à privatização na Eletrobras, citando a área de geração de eletricidade. Ele comentou que, se for eleito, no setor de energia elétrica "a gente não vai mexer", destaca a agência Reuters.

O candidato defendeu a privatização de empresas estatais que deem prejuízo. "Ou até mesmo extinguir”. Mas disse que o setor de geração de energia elétrica será exceção, assim como o “miolo” da Petrobras.

Cotado para assumir o Ministério da Casa Civil em um eventual governo Bolsonaro, o deputado reeleito Onyx Lorenzoni (DEM-RS) disse na véspera que o presidenciável, se eleito, não vai apoiar a proposta de reforma da Previdência apresentada pelo governo do presidente Michel Temer.

 

Ibovespa nas últimas sessões

 

Na terça, o Ibovespa ficou estável e encerrou a sessão a 86.087 pontos. Na máxima do dia, o índice chegou a 86.573 pontos. Na mínima, foi a 85.432 pontos. Na segunda-feira, repercutindo o resultado do primeiro turno das eleições, o índice subiu 4,57%, na maior alta desde 2016.